ANP DISCUTE REGRAS DE EXPLORAÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS EM BARREIRINHAS

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +
SÃO LUÍS – Dirigentes da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) se reúnem hoje, a partir das 9h30, na sede da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), com empresas locais interessadas em participar da Segunda Rodada de Áreas Inativas com Acumulações Marginais.
 
Até o momento, cerca de 40 empresas já manifestaram interesse em participar da Segunda Rodada de Licitações. No Maranhão, serão oferecidas na Bacia de Barreirinhas as áreas de Espigão, Oeste de Canoas e São João, que, apesar de não serem consideradas atrativas para grandes empresas, podem representar um bom negócio para pequenos e médios empreendedores.
 
Esse tipo de iniciativa é recente no Brasil. Ano passado, a ANP realizou a Primeira Rodada de Áreas Inativas, com a oferta de 17 áreas, das quais apenas uma não foi arrematada.
 
As empresas que quiserem participar da Segunda Rodada, marcada para 28 de junho, no Rio de Janeiro, precisam comprovar capacitação técnica no setor de petróleo e gás natural por meio de quadro próprio ou pela contratação de terceiros.
 
Elas podem participar sozinhas ou em parcerias e, para obter a qualificação técnica necessária e cumprir as demais exigências do processo, deverão enviar à ANP a documentação necessária até o dia 12 deste mês.
 
As áreas de Espigão, Oeste de Canoas e São João, localizadas no Maranhão, têm potencial para exploração de gás natural e a última também para produção de petróleo.
 
A área de Espigão tem 21,35 km² e está localizada no município de Santo Amaro, a 180 km de São Luís. O campo foi descoberto em 1969 e tem quatro poços perfurados. A estimativa do antigo operador é de que o volume de gás in situ seja de aproximadamente 280 milhões de m³.
 
Volume
Já a área Oeste de Canoas é de 80,55 km² e está localizada a 200 km da capital, na cidade de Barreirinhas. Foram perfurados também quatro poços e o volume estimado é de 174,6 milhões de m³ de gás in situ, ainda de acordo com o antigo operador.
 
A área de São João, com 15,84 km², fica a sudeste de Primeira Cruz, a 160 km de São Luís.
São 13 poços no total e com volume estimado de cerca de 3,5 milhões de barris de óleo e cerca de 51,5 milhões de m³ de gás in situ.
 
Das três, esta foi a única área que chegou a produzir, com 75,5 mil barris de óleo e 894 mil m³ de gás entre março de 1984 e abril de 1988. É importante observar que volume in situ ou in place consiste no volume total de petróleo e gás encontrado em um reservatório sem considerar o fator de recuperação. Ou seja, esses volumes não são necessariamente recuperáveis em sua totalidade.
 
A ANP prorrogou para 12 deste mês o prazo para as empresas interessadas em participar da Segunda Rodada enviarem todos os documentos para a habilitação. Isso inclui manifestação de interesse, contendo Carta de Apresentação e Termo de Confidencialidade, apresentação de qualificação técnica, jurídica e financeira, comprovação da regularidade fiscal perante a Administração Pública Federal e pagamento da taxa de participação.
 
As empresas interessadas podem participar da reunião ou ainda obter mais informações na sede da Fiema em um data-room montado especialmente para esta Rodada.
 
Os telefones para contato são (98) 3212-1896 e 3212-1806. O edital da Segunda Rodada está disponível no site www.brasil-rounds.gov.br/acumulacoes-marginais.asp.
 
Fonte: O Estado do Maranhão
Share.

Comentários desabilitados.