fbpx

Sinagências repudia a forma misógina com que a Buser  trata fiscais da ANTT no exercício de suas funções

Sinagências inicia diálogo institucional com a presidência da CCJ da Câmara Federal
27 de outubro de 2020
DIA DO SERVIDOR PÚBLICO
28 de outubro de 2020

Entidade oficia Agência para tratar sobre o assunto

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (Sinagências) repudia  de forma veemente, os ataques e difamações feitos por advogados que se identificam como sendo representantes da Buser Brasil Tecnologia LTDA – Buser,  aos servidores  da fiscalização  da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), no exercício de suas funções no combate ao transporte clandestino rodoviário interestadual de passageiros.

Atuar no combate ao transporte rodoviário clandestino de passageiros é zelar pela vida no cidadão em trânsito pelas rodovias deste país, seja para o seu estudo, trabalho ou lazer e  combater aqueles que não tem condições de exercer esta atividade de forma adequada e segura.

Em operações da fiscalização da Agência esse tipo de situação de desrespeito e perseguição aos fiscais, infelizmente, não é novidade e ocorre frequentemente.

Neste caso em específico, a perseguição foi realizada a uma fiscal da Agência, de forma misógina e repulsiva, feita por filmagens e intimidações além de publicações mentirosas no Instagram expondo e marcando perfis da fiscal e equipe, assim como, de diversos órgãos públicos, além de ameaças  pessoais, em sua residência e de seus familiares.  Ainda neste sentido, a servidora  tem sido vítima de linchamento virtual nas redes por consequência de Fake News.

Uma empresa que “se diz inovadora”, flagrantemente por meio destes, demonstra que não abre mão das piores práticas para disfarçadamente operar na ilegalidade  e se utiliza de todos os meios para tentar difamar e incitar os usuários contra os servidores que estavam de plantão, numa tentativa clara de intimidação da servidora-fiscal, no desempenho de suas atribuições funcionais.

Conclui-se que o objetivo dos colaboradores da Buser é incitar e confundir o usuário, por um suposto abuso de autoridade que nunca houve; quando na verdade, a narrativa é principalmente usada para disfarçar a clandestinidade da operação feita pela plataforma tecnológica, em flagrante desrespeito às normas setoriais e legislação.

A Buser não possui autorização na ANTT, nem para o serviço regular, nem para o serviço de fretamento, não possui frota de ônibus própria e oferta serviços de transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros.

Por  fim,  o Sinagências continuará a acompanhar a referida situação, cobrando da ANTT e das autoridades competentes, medidas para a melhoria de infraestrutura e segurança aos fiscais da Agência,  e coloca o seu departamento jurídico à disposição para assessoria à servidora.

Clique  AQUI  para ler o ofício enviado à Agência

Fonte : Ascom/Sinagências

Os comentários estão encerrados.

LOGIN
WhatsApp Entre em contato