segunda-feira, dezembro 17

TRANSPARÊNCIA NAS CONTAS

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

 Gestão Unidade da Regulação faz o dever de casa e após 1 ano e meio de gestão salva o Sindicato

Os membros da Diretoria Executiva Nacional do Sinagências, se reuniram na sexta-feira (30) e sábado (01) para a reunião anual de avaliação da gestão  e planejamento para 2019. A análise das ações e do trabalho do setor financeiro durante o período é de que a Gestão Unidade da Regulação, que assumiu em julho de 2017 fez o dever de casa e após 1 ano e meio de gestão salvou financeiramente o Sindicato.

A palavra é esta mesma ‘salvou’, posto que vale lembrar que a gestão atual encontrou o Sindicato com dívidas acima de R$1,5 milhão  devendo bancos, tributos, funcionários, advogados. O nome da entidade estava negativado tanto no SPC como no Serasa e, igualmente, havia título protestado, tudo isso em consequência dos desvios que o ex-presidente da entidade Sr. João Maria Medeiros fez para Cooperativa Habitacional Bandeirantes (desvios estes em que os valores chegam a mais de R$4 milhões,  e que já estão sendo cobrados junto ao Poder Judiciário).

No mesmo período da reunião dos membros diretivos do Sindicato, o Conselho Fiscal do Sinagências também se reuniu pela quarta vez para analisar as contas do triênio (agosto, setembro, outubro) assim com o faz continuamente em diversos períodos desde o início da atual gestão.

Além de se pautar pela transparência nas contas  e desde que assumiu apresentar todo mês o balancete, a gestão atual, ao final da reunião dos membros do conselho fiscal deu o seguinte parecer no relatório do  colegiado:

… “Foi observado por este Conselho Fiscal que a atual gestão demonstra compromisso com a melhoria dos processos organizacionais do SINAGÊNCIAS, tais como: controle dos gastos, dos documentos de suporte disponível, relatórios de nota fiscais, comprovantes, controle dos suprimentos de fundo conforme a orientação do último relatório fiscal.           Observou-se que a gestão atual reconheceu as dívidas oriundas da gestão passada que não estavam registradas no balanço, assim como negociou estas pendências de forma a não impactar as despesas de custeio mensal…”

Para um dos conselheiros, senhor Paulo Rodrigues, analista administrativo lotado na Antaq/AM é visível a transformação e seriedade com as contas. “Houve um grande melhoria na disponibilização, apresentação e preocupação em solucionar as pendências. Também percebemos uma mudança total na gestão dos recursos financeiros e com as obrigações do sindicato, resultando significativamente na melhora de todos os indicadores financeiros e econômicos”, comentou.

O diretor financeiro adjunto, Wagner Dias destaca ainda que todo este trabalho além de ser um compromisso assumido no período da campanha visa, “além de saldar as dívidas da gestão passada, otimizar ao máximo o uso da contribuição dos filiados na defesa dos interesses dos servidores da Regulação Nacional.”

Ainda ao final o parecer do Conselho fiscal conclui por “encaminhar para a Diretoria Executiva Nacional para apreciação e aprovação, se for o caso, as contas do Sindicato referentes ao período financeiro de agosto a outubro de 2018, destaca-se que foram analisados todos os balancetes e extratos bancários do período”

Assim, a Gestão Unidade na Regulação reitera seu compromisso com a transparência e seriedade na prestação de contas. A casa está organizada. Todos os balancetes desde o início da gestão e todos os relatórios do Conselho Fiscal também, no mesmo período, podem ser vistos na área restrita do filiado.

Fonte : Ascom/Sinagências

 

Share.

Comentários desabilitados.