fbpx

Tíquete da União vira o Vale-Coxinha

Convênio com a Luma Corretora de Seguros (SP)
4 de maio de 2009
Convênio com a Pousada Lagoamar em Natal (RN)
7 de maio de 2009

O valor do tíquete-alimentação do Poder Executivo, apelidado de vale-coxinha, está congelado desde 2004 e não é capaz de pagar uma refeição completa, diferentemente dos tíquetes pagos nos Poderes Legislativo e Judiciário, entre R$ 638 e R$ 630, respectivamente.

05/05/2009

Os servidores do Executivo federal não sabem mais a quem recorrer. Com o valor do tíquete-alimentação, apelidado de vale-coxinha, congelado desde 2004, a categoria tem participado de vários reuniões no Ministério do Planejamento mas, até agora, ninguém falou em reajuste. O Sindicato dos Servidores Públicos Federais do Distrito Federal (Sindsep) destaca que o benefício não é capaz de pagar por uma refeição completa (salada, prato principal, bebida não-alcoólica, sobremesa e cafezinho). Em Brasília, por exemplo, que concentra o segundo maior contingente de servidores do Executivo Federal (só perde para o Rio de Janeiro), o custo médio de uma refeição completa chega R$ 18,49. Para suprir essa necessidade, o servidor deveria receber um tíquete mensal de R$ 406,78. Porém, o maior valor mensal pago pelo Executivo é R$ 161. Isso quer dizer, R$ 7,36 por dia. Em alguns estados, chega a ser menos: R$ 126. No Legislativo, o benefício mensal chega a R$ 638, ou seja, R$ 29 ao dia. No Judiciário, os valores oscilam entre R$ 590 e R$ 630, que correspondem, respectivamente, a R$ 26,82 e R$ 28,64 por dia.

Fonte: Jornal de Brasília

Os comentários estão encerrados.

LOGIN
WhatsApp Entre em contato