fbpx

PRESIDENTE DA ANAC DIZ QUE NÃO HÁ CRISE NOS AEROPORTOS

ANVISA PUBLICA RESULTADO DAS PROVAS OBJETIVAS DE CONCURSO NO PRÓXIMO DIA 18
11 de abril de 2007
CI APROVA POR UNANIMIDADE INDICAÇÃO DE ANTONIO BEDRAN PARA A ANATEL
11 de abril de 2007
Apesar da crise nos aeroportos, o presidente da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), Milton Zuanazzi, afirmou nesta quarta-feira (10/04) que não há crise no setor aéreo brasileiro. Ele participa esta tarde de uma audiência pública na Câmara dos Deputados para discutir o caos aéreo.
 
Segundo ele, o crescimento da oferta de vôos subiu de 12% em 2004 para 17% este ano. "Essa oferta de demanda, de pessoas voando, é maior que o crescimento da China. As empresas não sentem a crise, pelo contrário, estão em franco investimento", minimizou.
 
Ao contrário de Zuanazzi, o presidente da Infraero (estatal que administra os aeroportos), José Carlos Pereira, reconheceu que a crise trouxe transtornos para a população brasileira. Ele saiu em defesa da atuação da Infraero durante a paralisação dos transportes aéreos há duas semanas. Mas Pereira reconheceu que no caso específico de Congonhas as conseqüências teriam sido piores se o governo não tivesse ampliado a capacidade do terminal de passageiros. "Se Congonhas não tivesse sofrido obras de ampliação, teríamos uma crise ainda maior com passageiros nas ruas e sem espaço para serem abrigados”. Aeronáutica O comandante da Aeronáutica, Juniti Saito, apresentou aos deputados um modelo do sistema de defesa aérea do país. Saito minimizou também as reclamações dos controladores de tráfego aéreo, que alegam precariedade nas condições de trabalho.
 
Munido de fotos de equipamentos e de salas de controle de vôo, Saito disse que maior preocupação da Aeronáutica é com as condições de trabalho dos controladores.
 
Fonte: CorreioWeb / Folha News

Os comentários estão encerrados.

LOGIN
WhatsApp Entre em contato