fbpx

ANATEL AUTORIZA RADIOBRÁS A REALIZAR TESTES DE RÁDIO DIGITAL EM ONDA MÉDIA

ANATEL QUER FLEXIBILIZAR USO DE LICENÇAS PARA ATENDER À CONVERGÊNCIA
11 de março de 2006
GRIPE AVIÁRIA: ANVISA ORIENTA SOBRE COMO PREPARAR AVES
11 de março de 2006
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) concedeu nesta sexta-feira, dia 10, autorização à Empresa Brasileira de Comunicação SA (Radiobrás) para execução do Serviço Especial para Fins Científicos ou Experimentais, visando a realização de testes do Sistema de Radiodifusão Sonora Digital em Onda Média (OM) na localidade de Brasília. A autorização foi publicada no Diário Oficial da União e é a segunda do Sistema de Radiodifusão Sonora Digital DRM – Digital Radio Mondiale. A primeira neste padrão foi concedida à Faculdade de Tecnologia da Universidade de Brasília (FT-UnB), autorizada a realizar testes em onda curta (OC).
 
Os testes têm o objetivo de avaliar a qualidade do áudio, área de cobertura e robustez do sinal digital em relação a ruídos, interferências e efeitos dos múltiplos percursos.
 
O DRM, inicialmente concebido para transmissão em OC e posteriormente adaptado para transmissão em OM, é um dos sistemas aprovados pela União Internacional de Telecomunicações (Uit). Trata-se de padrão aberto desenvolvido por consórcio constituído por 90 membros (associações, universidades, fabricantes, operadoras) de 30 países. Em operação regular por estações de OC européias, a versão em OM ainda está em fase de testes na própria Europa, na China, no México e, a partir de agora, no Brasil. As autorizações anteriores foram concedidas para realização de testes do Sistema de Radiodifusão Sonora Digital Iboc (In-Band On-Channel). O Iboc é o padrão norte-americano, desenvolvido pela iBiquity Digital Corporation, e utiliza a mesma freqüência do sistema analógico para as transmissões digitais.
 
A Radiobrás deverá apresentar, no prazo de 60 dias, relatório inicial constando, no mínimo, as características que serão utilizadas na transmissão digital e a descrição dos testes. Ao final dos experimentos, a autorizada deverá apresentar outro relatório, acompanhado de laudo conclusivo e de considerações finais, abrangendo todas as atividades desenvolvidas. O preço público pelo direito de exploração do serviço é de R$ 1.200, e a autorização é válida por um ano. A Licença para o Funcionamento de Estação, exclusiva para o período de realização dos testes está sujeita à Taxa de Fiscalização de Instalação, no valor de R$ 137,32.
 
Fonte: FB – FOLHABLU

Os comentários estão encerrados.

LOGIN
WhatsApp Entre em contato