fbpx

Álvaro Dias critica indicação de Cláudio Simão para diretoria da Anac

Em sabatina no Senado, diretor da Anac evita falar sobre obras da Copa
15 de abril de 2011
Assembléia Estadual dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação no Estado do Paraná
18 de abril de 2011

Cláudio Simão

O líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PSDB-PR), aproveitou o estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) sobre a situação das obras em aeroportos importantes do país para criticar a decisão da presidenta Dilma Rousseff de reconduzir Cláudio Passos Simão para a diretoria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O estudo do O Ipea, divulgado hoje (14), prevê que nove dos 13 principais terminais aéreos do país não estarão com as obras de expansão prontas até a Copa do Mundo de 2014. Segundo o instituto, muitos deles, quando concluírem as obras, já estarão com a capacidade novamente sobrecarregada. Para Álvaro Dias, a indicação de Simão pela presidente Dilma significa “a premiação da improbidade administrativa” e corrobora com a incapacidade brasileira de controlar os problemas no transporte aéreo no país. O senador tucano disse que Cláudio Simão está sendo investigado pelo Ministério Público por suspeita de improbidade administrativa. Entre as denúncias, está a de que ele teria contratado uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) para executar um serviço na agência – na qual já atua como diretor – que poderia ter sido feito pelos próprios funcionários da Anac. “Nós temos o dever de exigir que se façam as diligências necessárias, que se aguarde a conclusão de um inquérito em curso no Ministério Público Federal, para deliberarmos sobre a nomeação de alguém que vai ocupar função relevante numa área nervosa, numa área que exige preocupações governamentais. A nossa preocupação não é apenas com a Copa do Mundo, a nossa preocupação é com o desenvolvimento do País”, afirmou Dias.

Para o senador, o nome de Simões deveria ser rejeitado pelo Senado enquanto as denúncias contra ele não forem “esclarecidas”. Além disso, Álvaro Dias considerou a execução orçamentária do governo nas obras de infraestrutura aeroportuária “pífia” e sugeriu que o Brasil pedisse desculpas aos organizadores da Copa do Mundo e abrisse mão de ser sede do evento. Durante o discurso do líder do PSDB, o senador Walter Pinheiro (PT-BA) fez um aparte: destacou que Cláudio Simão não responde a processo judicial e pediu que ele não fosse julgado antecipadamente. O senador da base governista criticou ainda a falta de obras de infraestrutura durante o governo Fernando Henrique Cardoso (FHC) e atribuiu a isso o atraso em obras como as do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e da Copa do Mundo. “Essa agonia de muita gente em relação ao apelo da Fifa [Federação Internacional de Futebol], que fica querendo ver cronograma de estádio, cronograma de mobilidade urbana, que também vamos ter em todas as cidades-sede da Copa do Mundo. Portanto, eu diria a vossa excelência [senador Álvaro Dias] que não foi essa a preocupação do passado que, lamentavelmente, nós estamos tendo que fazer no presente, porque encontramos uma infraestrutura, literalmente, abandonada e sem investimento, para preparar o Brasil, sequer, para receber uma Copa do Mundo. Por isso temos que fazer isso agora, de forma acelerada”, rebateu o senador petista. Cláudio Simão passou hoje por uma sabatina na Comissão de Infraestrutura do Senado e, em votação, foi aprovado pelos membros da comissão. O nome dele precisa ainda ser avaliado pelo plenário da Casa.

Fonte: Correio Braziliense

Os comentários estão encerrados.

LOGIN
WhatsApp Entre em contato