fbpx

GRIPE AVIÁRIA: ANVISA ORIENTA SOBRE COMO PREPARAR AVES

Os recentes surtos de influenza aviária de alta patogenicidade na Ásia, Europa e África têm gerado discussão sobre as fontes de infecção associadas ao homem. Com o intuito de esclarecer a população sobre o consumo de alimentos derivados de aves, a Anvisa elaborou uma nota técnica contendo instruções para o preparo desses alimentos.
 
A nota complementa a Resolução RDC nº 37, de 22 de fevereiro de 2006, que proíbe a importação de produtos derivados de aves procedentes de países com ocorrência de casos notificados de subtipo pandêmico do vírus influenza, o H5N1. Apesar da proibição, o consumo dos produtos derivados de aves é considerado seguro, desde que sejam completamente cozidos, fritos ou assados.
 
Não há registros de transmissão do vírus aos homens por meio de alimentos (como cortes de aves e ovos) mesmo quando a ave está contaminada. Esses alimentos só podem causar danos à saúde se manuseados incorretamente ou consumidos crus. Apenas a refrigeração ou o congelamento do alimento contaminado pelo vírus não são suficientes para eliminar o risco de infecção do homem.
 
As instruções de uso, preparo e conservação dos alimentos derivados de aves são as mesmas daquelas indicadas para outras doenças de transmissão alimentar: manter o alimento refrigerado ou congelado, descongelar no refrigerador ou microondas, separar o produto cru dos outros alimentos, lavar com água e sabão as mãos, utensílios e superfícies depois de manusear o produto cru e consumir somente após cozido, frito ou assado completamente.
 
Fonte: Rio Preto News
LOGIN