fbpx

Em reunião com Fórum de Associações Verticais, Sinagências defende sensibilização dos servidores de todas as Agências para o pleito da equiparação da ANM

REG.BR – Plataforma auxiliará na realização de análise de impacto regulatório (AIR)
3 de agosto de 2021
Symone Araújo, diretora da ANP participa de entrevista sobre regulamentação da Lei do Gás
4 de agosto de 2021

Temas de interesse dos servidores que estão no rol da Reforma Administrativa foram debatidos

O presidente do Sinagências, Cleber Ferreira, o secretário-geral, Alex Sandré de Moura, e o diretor financeiro, Wagner Dias, participaram na noite desta segunda-feira (02/08), em reunião online, do Fórum de Associações Verticais das Agências Reguladoras.

Na agenda, pautas como: a garantia das Agências Reguladoras enquanto carreiras típicas de Estado, uma discussão mais clara e concreta sobre tabela única e equiparação ao ciclo de gestão relacionada à tramitação da Reforma Administrativa, as defasagens salariais e a equiparação da ANM.

Estavam presentes, representando as associações, o presidente Eduardo Simões (Asanp), a Diretora-Geral Yandra Ribeiro Torres (Univisa), o diretor jurídico e ex-diretor do Sinagências, Luís Bernardo Delgado Bieber (Univisa), a presidente Marluce Cristina Iotte de Almeida Chrispim (Assetans), os diretores Flavia Simões Ferreira Rodrigues e Luiz Henrique Pinheiro (Aságuas), o presidente José Neto (Asantaq) e o diretor Kleber Mendonça (Asanm).

No início da reunião, o presidente Cleber Ferreira trouxe ao debate a importância da equiparação da ANM. Disse que a diretoria juntamente com a ASANM (que representa os servidores da ANM) tratarão em breve o projeto de equiparação a ser apresentado ao Governo Federal.

Durante sua fala, o presidente destacou e chamou à sensibilização sobre a importância de todas as Agências, através de seus servidores, abraçarem a pauta da equiparação da Agência Nacional de Mineração (ANM). “Precisamos mostrar força, mas não acho que o viés grevista seja a solução e também aos olhos da sociedade haverá um olhar negativo. Podemos imprimir outras formas de mobilização organizada no exercício de processo democrático e manifestações mais estratégicas e pacíficas”, analisou o presidente.

No decorrer dos diálogos, houve um consenso de que é necessário priorizar estratégias mais eficazes para sensibilizar e convencer o parlamento e a sociedade de que os pleitos afetos aos servidores devem, efetivamente, ser alcançados.

Também houve, por parte dos presentes, uma reflexão sobre a efetividade de mobilizações e estratégias nos moldes, hoje considerados mais antigos, da paralisação e/ou indicativo de greve.  Os membros ponderaram se, num contexto de pandemia, desemprego elevadíssimo e narrativas midiáticas em que o serviço público é deslegitimado, esse tipo de ação iria ser estratégico para os resultados ou mesmo se a estratégia seria rechaçada, como um “tiro no pé´”. Sobretudo, foi discutida a real força existente hoje para se mobilizar os quadros das Agências.

Ao final dos diálogos, foi considerado ponto pacífico e unânime de todos os presentes a defesa da equiparação da ANM. Ainda foi proposto também um posicionamento conjunto, que motive maior força institucional junto à categoria em defesa das pautas das Agências.  E por fim, uma nova reunião  entre o Fórum e o Sinagências está marcada para o dia dez de agosto próximo.

Fonte: Ascom/Sinagências

Os comentários estão encerrados.

LOGIN
WhatsApp Entre em contato