fbpx

ANP prevê expansão na exportação de petróleo até 2020

Saúde do servidor: Sinagências cobra exames periódicos, adicionais de insalubridade, periculosidade e aposentadoria especial
18 de agosto de 2011
Diretor-geral recebe comitiva do ES para tratar do desenvolvimento portuário no estado
18 de agosto de 2011

A diretora da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Magda Chambriard, disse nesta terça-feira que o Brasil deverá chegar em 2020 exportando 2 milhões de barris por dia, principalmente por parte das parceiras da Petrobras e empresas privadas nacionais e estrangeiras. Em apresentação nesta manhã no auditório do Grupo Estado, no Seminário “Os Novos Desafios do Pré-Sal”, a diretora destacou o novo cenário em que o País se inseriu no mercado internacional ao descobrir as reservas do pré-sal.

Segundo ela, o pré-sal é o “novo paradigma que deixou para o Brasil o desafio do desenvolvimento que ele merece”. “Alguns podem até achar conservadora a previsão de reservas de 50 bilhões de barris, mas nós acreditamos nisso”, disse, lembrando que as atuais reservas são de 14 bilhões de barris e devem chegar no curto prazo a 30 bilhões de barris apenas com as áreas já conhecidas.

A diretora também destacou o montante que vem sendo investido em pesquisas e desenvolvimento no Brasil. Segundo Magda Chambriard, a ANP projeta investimentos de R$ 9 bilhões em pesquisa e desenvolvimento na próxima década. “Nenhum outro país tem este montante”, disse. Ela evocou o passado da indústria do petróleo no País para destacar que o Brasil já venceu desafios anteriores para chegar a produzir na Bacia de Campos. “Agora temos um desafio muito maior, mas também temos mais experiência e condições para isso”, comentou.

A necessidade de especialização e entendimento do negócio de combustível como uma empresa é fundamental para que os profissionais do setor saibam se relacionar e dar a devida importância a todos os que fazem parte do negócio.

Vinícius Antunes, diretor corporativo do B.I., destacou que o mercado varejista de combustíveis precisa de uma visão mais ampla. “Além de entender o mercado de combustíveis, os empresários do setor precisam entender de gestão do negócio e das pessoas, marketing, inovação, regulamentação, planejamento, entre outros pontos importantes. Por isso, o B.I., em parceria com a Minaspetro, desenvolveu dois cursos para o setor: Programa de formação em Varejo de Combustíveis (não precisa ter graduação) e MBA Internacional em Varejo de Combustíveis (exige curso superior, com diferencial de cursar os módulos internacionais)”, afirmou.

Fonte: B.I. Internacional

Sinagências, o Sindicato de todos!
Contribua para o fortalecimento da sua categoria, do seu Sindicato, em defesa de Agências Reguladoras independentes, clique aqui e filie-se.

Os comentários estão encerrados.

LOGIN
WhatsApp Entre em contato