fbpx

Categoria aprova Greve Nacional caso o Governo não apresente proposta concreta

Teve início I Congresso Nacional do Sinagências
7 de junho de 2008
Reunião com os servidores da ANP no Rio de Janeiro
9 de junho de 2008

Se o MPOG não apresentar proposta concreta quanto à pauta unificada das Entidades Sindicais (Carreira da Regulação Federal com remuneração por subsídio) até o dia 13 de junho, os servidores das Agências Nacionais de Regulação entrarão em Greve por tempo indeterminado

Nessa sexta-feira (06/6), em frente ao bloco “C” do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) foi realizada Assembléia Geral Nacional a fim de informar à categoria sobre a mobilização e as articulações políticas acontecidas nos últimos dias. A Assembléia discutiu e deliberou sobre a Greve Geral dos Servidores Público Federais das Agências Nacionais de Regulação.

Foto 01: Assembléia Geral decide pela Greve

O presidente do Sinagências, João Maria Medeiros de Oliveira, expôs à categoria sobre a posição do Governo apresentada na mesa de negociação de ontem, dia 5 de junho, que foi de marcar nova reunião para o dia 18. As entidades sindicais discutiram, no auditório do Sinagências, as propostas para ser apresentadas à deliberação da categoria na Assembléia Nacional:

1- Não esperar até o dia 18 de junho como data da próxima negociação com o Governo;
2- Discutir com o Governo, apenas quando o mesmo apresentar uma proposta concreta;
3- Definir prazo de oito dias, a contar de ontem, dia 5 de junho, para o Governo apresentar contraproposta concreta aos servidores, firmando como data limite o dia 13 de junho; e
4- Caso o Governo, até o dia 13 não apresente nenhuma proposta, iniciar no dia 16 de junho a Greve Geral dos Servidores Público Federais das Agências Nacionais de Regulação por tempo indeterminado.

Após a exposição dos itens definidos pelas entidades, os diretores, Francisco Monteiro, do Sinagências, e Maurício, da Fenasps, discursaram para a categoria presente.

Em seguida, João Maria encaminhou a votação dos pontos acima, que foram aprovados unanimemente por todos os presentes, tanto do Quadro Efetivo quanto do Específico, de Brasília e da maioria dos Estados da Federação.

Foto 02: Assembléia Geral decide pela Greve

Ao final, João Maria afirmou que “todas as decisões estão sendo aprovadas pelos trabalhadores, após um ano e dois meses de exaustiva tentativa de acordo com o Governo”. Lembrou ainda, os passos da negociação com o Governo e disse que o Governo não se pronunciou sobre as propostas apresentadas: “houve uma pauta discutida em abril do ano passado, referendada pelas demais entidades nacionais representativas dos servidores das Agências, apresentada ao Governo a partir de junho do ano passado, discutida em nove mesas de negociação e no Grupo de Trabalho instituido pelo próprio Governo, e até agora o os negociadores governamentais não nos apresenta nada de concreto sobre o que lhe foi apresentado como proposta. Isto é um desrespeito à classe trabalhadora”.

Abaixo, acesse o relatório da Reunião com o Ministério do Planejamento no último dia 05 de junho.

Sinagências, o Sindicato de todos!
Contribua para o futuro da categoria, clique aqui e filie-se ao Sinagências

Os comentários estão encerrados.

LOGIN
WhatsApp Entre em contato