fbpx
Assembléia Estadual do Espírito Santo, 28/07
25 de julho de 2008
Bahia e Espírito Santo também decidem suspender a Greve
28 de julho de 2008

Por convocação do Comando Unificado Nacional – Sinagências, Fenasps e CNTSS – foram realizadas ontem (sexta-feira, 25/07), Assembléias Estaduais no Rio de Janeiro, São Paulo, Paraíba e Alagoas.

O presidente do Sinagências, João Maria Medeiros de Oliveira, e o Diretor do Departamento de Vigilância Sanitária da FENASPS, Luiz Castilhos, conduziram as Assembléias do Rio de Janeiro e de São Paulo, realizando avaliação da Greve, resgatado o processo de negociação dos dias 18, 19 e 20 de junho, a deflagração da Greve no dia 30 de junho, a suspensão do movimento no dia 10 de julho, as reuniões com o governo nos dias 10, 16 e 17 de julho, as Assembléias Estaduais nos dias 18, 21, 22 e 23 para discutir a proposta de Grupo de Trabalho de 30 dias proposto pelo governo e a retomada da greve nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Espírito Santo, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

As Assembléias discutiram a mudança na Agenda de Negociação, apresentada na manhã da mesma sexta-feira, via e-mail do governo aos dirigentes das Entidades, onde a SRH/MPOG reduz o período de negociação das tabelas para o dia 15 de agosto de 2008, em 04 reuniões nos dias 29/07 e 05, 12 e 15 de agosto.

No Rio de Janeiro, a Assembléia foi coordenada pelo presidente do Sinagências. Em São Paulo, pela representante do comando Estadual de Greve, Laura Imasuco. No Rio, a assembléia contou com servidores da Anvisa, Anatel, ANTT, ANP, ANAC e ANS, e em São Paulo, com Anvisa e Anatel. Após intenso debate sobre todas as questões, duas posições foram defendidas nas Assembléias:

1- Rejeitar a Agenda de 20 dias de negociação e fortalecer e ampliar a Greve em todo o país; e
2- Aceitar a proposta de 20 dias de negociação, suspendendo a Greve.

No Rio foi aprovada a proposta 2 (Negociação), com destaques no Termo Aditivo a ser assinado pelo Sinagências, Fenasps e CNTSS. Em São Paulo, foi aprovada a proposta 2 (Negociação), com destaques na data de término das reuniões, ficando definido dia 12 de agosto, como data da última reunião, ao invés do dia 15, e no Termo Aditivo a ser assinado pelo Comando das Entidades.

Os destaques aprovados nas Assembléias serão formalizados ao governo nas primeiras horas da segunda-feira (28/07), para adequação do Termo.

Na opinião do presidente do Sinagências, a categoria está mostrando maturidade para negociar com o governo a maneira que garante, com a suspensão da Greve, o canal de negociação com uma agenda já definida, e orienta que os demais Estados concedam mais este período para garantir as negociações e nossas reivindicações. João Maria lembrou ainda que na greve de 2006 a categoria suspendeu o movimento em 27 de abril, fechou o acordo final em 09 de junho e a Medida Provisória, com os pontos acordados, só foi publicada em 30 de junho daquele ano. Portanto, o tempo que estamos concedendo hoje não está extemporâneo, considerando que começamos a trégua na greve dia 10 de julho e o prazo que o governo nos apresenta é dia 15 de agosto, com os destaques, fica em 12 de agosto.

Sinagências, o Sindicato de todos!
Contribua para o futuro da categoria, clique aqui e filie-se ao Sinagências

Os comentários estão encerrados.

LOGIN
WhatsApp Entre em contato