fbpx

Trabalho sobre a concessão de rodovias paranaenses: uma análise à luz das teorias da regulação

ANATEL RETOMA PROCESSO DE CONCESSÃO E SÃO PAULO PODE TER NOVA OPERADORA DE CELULAR
8 de fevereiro de 2007
ANAC AUMENTARÁ FISCALIZAÇÃO NO CARNAVAL
9 de fevereiro de 2007

O trabalho técnico elaborado por Mario João Figueiredo e intitulado “A Concessão de Rodovias Paranaenses: uma análise à luz das Teorias da Regulação”, tem como objetivo discutir à luz de teorias da regulação, o processo de concessão de rodovias paranaenses à iniciativa privada. Segundo o autor, buscou-se confrontar, com base na teoria, os termos dos contratos de concessão, no sentido de apontar as possíveis falhas regulatórias decorrentes do modelo adotado. Com o texto, se conclui que a conformação de um novo arcabouço institucional do Estado brasileiro, do qual faz parte, entre outros, o processo de concessão de rodovias, teve forte componente de imposição por parte dos países centrais canalizadas por instituições como o FMI e o Banco Mundial.

“A concessão das rodovias paranaenses ocorreu sem que estivesse definido o marco regulatório geral para o setor. Em nível nacional, a despeito de já terem sido efetuadas diversas concessões, sequer foram constituídas agências reguladoras. Em decorrência disto, defende-se a hipótese de que o processo de concessão de rodovias paranaenses à exploração privada incorreu em falhas da regulação, tais como a da captura”, defende Mario João durante o capítulo introdutório.

Baixe o arquivo por meio do link abaixo.

____________________________
Nota: O Sinagências, no sentido de difundir a cultura regulatória, divulga trabalhos como este. Contudo, as informações contidas nos mesmos não expressam, necessariamente, o pensamento nem a opinião institucional do Sindicato. Envie trabalhos de sua autoria para comunicacoes@sinagencias.org.br; teremos o prazer de publicá-los no site.

Os comentários estão encerrados.

LOGIN
WhatsApp Entre em contato